Tuesday, September 20, 2005

Colcha de retalho

Muitos se ferem com espinhos.
Eu tenho essa mansa loucura De me cortar com pétalas.
As coisas todas, E mais as coisas belas, Traçam-me talhos.
Um sorriso gratuito Sangra por meses.
Uma cor, especialmente definida, Contra um céu azul Pode arder tão fundo Quanto a pior incisão.
Mãos de crianças me laceram, Gestos de homens me esquartejam.
Toda cortada, tenho a alma Feita aos trapos. E o coração todo aos pedaços.
A minha vida é, sempre, Uma linda colcha de retalhos

6 Comments:

Blogger aspirante a... Maria said...

quem é vc?
de qualquer forma identifico...

3:08 PM  
Blogger rodriguesmaze said...

Ser colcha de retalhos
em noites de frio,
aquecem o corpo
e traz à alma mils regalos.
Obrigada pela visita

7:20 PM  
Blogger srtatorres said...

lindo, conciso! sincero, exato!
nao so o cruel tem a capacidade de nos atrocidar, mas o belo é por vezes uma nausea.

10:10 AM  
Blogger Bárbara (B.) said...

Obrigada pelas palavras, moça...

Beijo meu.

7:07 PM  
Blogger Taís Lohana said...

Lindo. E a vida terá sempre a cor que a gente pinta. Nenhum sangramento será tão grande que não possa ser retido.

Sorrisos

10:06 AM  
Blogger nina lamacié said...

ei querida, obrigada pelas visitas...
esse texto é seu?

11:21 AM  

Post a Comment

<< Home